16.7 C
Curitiba
agosto 4, 2020
Schultz Travel Market News
De Olho no Mercado Observatório

Empresas de mobilidade? Conheça a inovação do serviço rent-a-car

Carlos Caiado, managing director da SIXT Portugal, revela ao Publituris as novidades que a empresa de rent-a-car vai lançar em 2020 e fala também do estado atual do mercado, do Brexit e do aeroporto de Lisboa.

Como correu o ano de 2019 para a SIXT, nomeadamente ao nível do segmento turístico?

O turismo é uma parte muito importante da nossa faturação, deverá rondar os 50%, tem um peso muito significativo e o ano de 2019 correu de acordo com aquilo que tínhamos previsto, alinhado com o crescimento do turismo. Ou seja, não temos um crescimento brutal de vendas, mas está de acordo com as nossas expetativas.

A maior procura incidiu nos segmentos mais baixos, o chamado segmento econômico e mini. Foi nestas viaturas que se notou maior procura, assim como no segmento seguinte, os compactos. É aqui que está o nosso grosso de vendas, com uma percentagem muito significativa.

Algumas empresas do setor têm-se queixado que existe mais procura, mas a rentabilidade está a cair, devido à maior procura por esses segmentos econômicos. Na SIXT Portugal, esta realidade também se notou ou, como dizia, os compactos compensaram a procura pelos econômicos?

Também notamos um bocadinho essa tendência. Muitos dos turistas que estão a vir para Portugal – e este ano isso foi claríssimo – chegam em companhias low cost e o que procuram são segmentos econômicos. Alguns procuram os compactos, mas o grosso da procura está nesses segmentos mais baixos, daí que os preços também estejam mais competitivos e, de facto, os valores de rentabilidade sejam menores. Na SIXT, notamos que a rentabilidade vem desses segmentos.

E quais são as expetativas para 2020, tendo em conta que o turismo tem vindo a registar algum abrandamento. Na SIXT Portugal, também existe esta perspetiva de abrandamento?

Para 2020 esperamos um crescimento moderado do turismo, porque, de facto, a procura já não cresce ao ritmo que crescia há um ano ou dois. Estamos a notar um abrandamento desse crescimento, não é ainda uma estagnação… Leia a matéria na íntegra no site Publituris.

Posts Relacionados